segunda-feira, 28 de julho de 2014

Passeando em Amparo/SP - Parte 03

Photos by Nadja P.

"O mundo é de quem não sente. 
A condição essencial para se ser um homem prático é a ausência de sensibilidade."

Fernando Pessoa


Por isso o mundo não é meu e eu não sou prática.
Sou diferente de muitos... 
 Muitos que somente aceitam e enxergam a 
beleza estética, se houver perfeição em tudo, como se isso fosse possível os humanos realizarem.


Sim, eu consigo observar a beleza nas trincas,
 nas paredes desgastadas e desbotadas, nas tintas envelhecidas e nos tijolos aparentes por conta das intempéries do tempo.

   
Assim como também consigo notar a beleza de uma residência bem conservada e com tudo em ordem.
   E de quebra com um Fusquinha na frente...Rsrsrs














MAIS PRÉDIOS HISTÓRICOS...







Notei que muitos fios elétricos estavam impregnados por uma espécie de plantinha ou parasita...
Abaixo, os lindos gradis pintados de branco.



COMO EU PODERIA CHAMAR ISSO???

  Não é um bar, não é uma mercearia, não sei como poderia chamar esse pequeno estabelecimento.
Uma "vendinha de doces"?
Pois, notei que somente havia doces e balas no balcão.
Esse pequeno estabelecimento me remeteu ao passado aonde podíamos encontrar lugares assim.
O dono ou dona da vendinha?
Não sei quem é...
Porque não havia ninguém no estabelecimento!
Cidade pequena ainda funciona assim.
Na calmaria do sossego das almas.


O azulejo branco meia barra, o piso feito com caquinhos de cerâmica vermelha, o balcão de madeira, pintado de azul, a antiga fluorescente 
na parede, tudo, tudo isso são registros vívidos do passado!
E o velho Baleiro???


Ah, fiquei encantada com ele!!!
Repleto de balas de mel, hortelã e amendoim.
Até as balas eram vintages...



Tudo estava muito limpo e organizado, mostrando que o proprietário (a) era zeloso (a) com seu estabelecimento.
Sem dúvida, ele (ela) era zeloso (a) com suas lembranças também!
Na parede de velhos azulejos, dois painéis estampavam fotografias antigas, clicadas na cidade. 
Quem sabe da próxima vez encontre essa pessoa para prosear?

CASINHAS MIMOSAS TENDO COMO VISTA AS BELAS  MONTANHAS DA SERRA DA MANTIQUEIRA


Fora os antigos casarios é possível encontrar casinhas mais simples, porém antigas, e em ótimo estado de conservação.
Aliás, Amparo/SP é uma cidade limpa e não está pichada, graças a Deus!
A maioria das ruas entorno da área central é de paralelepípedos, o que dá uma nostalgia ao lugar.
Notaram a varandinha da casa acima? 
Sem grade até o teto, sem cerca elétrica, sem cachorro bravo e outros trocentos meios de segurança.
 Sim, não encontrei nenhuma residência com cerca elétrica ou com cães bravos.
O que não quer dizer que não tenha maus elementos no lugar, porque sei que tem, 
no entanto, os moradores garantiram que a vida ainda é calma, tranquila.


A residência de tonalidade rosa, à esquerda, estava com o portão da garagem aberto e assim ficou por um bom tempo.
Ai, ai, ai, se fosse em Campinas/SP!





Gostei da audácia da moradora em pintar sua casa de pink maravilha!

Colégio Nossa Senhora do Amparo, dirigido por freiras, e decorado com seu belo ipê roxo!


Se o passeio acabou?
Ainda tem muita lenha pra queimar! 
Linda semana e até o próximo post!
Pensei que três seriam suficientes...
Tá, engana que eu gosto!KKK

"O segredo da vida é aproveitar cada calmaria" 

 Iná

domingo, 27 de julho de 2014

Passeando em Amparo/SP - Parte 02

Photos by Nadja P.

26/JUNHO - DIA DA VOVÓ


Antes de iniciar novamente o passeio, quero parabenizar as Vovós e dizer que desejo muito açúcar para suas vidas!
   Não, não fiquem preocupadas, pois esse tipo de "açúcar" não faz mal a ninguém, só pode causar um ciuminho na mãe da criança...Rsrsrs
Meu netinho está a caminho e eu só posso dizer que:

É UMA SENSAÇÃO MARAVILHOSA!

&

JANELAS E PORTAS ANTIGAS

O que também vi na cidade de Amparo/SP foi uma profusão de modelos e cores de janelas e portas antigas, uma mais linda do que a outra!
Captei e trouxe algumas aqui, porque muitas ficaram por lá.























































Particularmente gostei muito da janela verde pistache, à direita, com vidros coloridos.
Na verdade, gostei de todas!







O que me encantou foi a simplicidade das linhas e cores!
Mesmo completamente detonada, a 
Porta balcão, logo abaixo, é muito bonita, 
segundo a minha opinião.
Gosto muito do efeito descascado ou "cascado" como diz o bom mineiro!
   Essa mistura de tonalidades devido o desgaste das tintas por conta da ação do tempo não me irritou, ao contrário, atiçou a minha imaginação.
    A pouco fiz isso numa peça que repaginei.


A janela pintada de branco e lilás é  simplesmente encantadora também!
Quando passei ao seu lado, vi a proprietária  encerando o chão da sala (não teve jeito de evitar olhar, pois a janela é voltada para calçada).
      Fazia tempo que eu não ouvia o barulho de  uma enceradeira em ação...








Janelas...
Janelas foram feitas para ventilar, olhar, decorar, xeretar, observar, fechar, abrir, amar, odiar, arriscar, fugir, entrar, sair e proteger.
Janelas podem ser grandes, médias, pequenas, coloridas, minimalistas, feias, bonitas, novas 
ou velhas.
Não importa!
Toda casa que se preze deve ter pelo menos uma janela.

Nadja P.


PORTAS



Era costume colocar as iniciais do nome e sobrenome do proprietário como aparece no gradil acima.


O que falar dos belos entalhes, da qualidade/cor da madeira, do tamanho, do gradil de ferro fundido?
Não tenho palavras.

QUANTOS ANOS ELA TEM?

Ano de construção da residência/prédio era um hábito comum em épocas passadas.
Hoje, só de olhar esse detalhe, podemos saber quantos anos tem o imóvel.





HALL DAS ANTIGAS RESIDÊNCIAS


Minha família residiu numa residência antiga por alguns anos, portanto, sei como elas são por dentro e por fora.
O gradil de ferro era marca registrada.
 Ferro fundido que fique bem claro, pesado pra caramba!
Geralmente decorava a porta principal, 
porta enorme e pesada.
Assim que entrávamos na casa, geralmente, havia três degraus que conduziam a um pequeno corredor, que dava acesso para outra porta.
 Do lado esquerdo do hall havia uma 
terceira porta, que dava acesso para sala principal, cujas janelas abriam para rua.

LINHAS DELICADAS E BONITAS

 Notem as linhas graciosas das ferragens do portão de entrada bem como no corrimão que conduz à porta principal da residência, logo abaixo, sem esquecer de citar a elegante cobertura de proteção com vidros.
   Art Nouveau foi o estilo escolhido para idealização dessas belas peças, que permanecem intactas até hoje.
 A escadaria de mármore é original, mas o piso restante não sei, pois não notei no momento em que cliquei.

Linda semana a todos!



Eu vivo no presente, mas é certo que tenho um pé no passado, e isso me faz muito bem.

Nadja