Frase de amigo

"Repaginou o Blog. Repaginou a vida." - Silvio Afonso

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Casa de cacarequeira




Casa de cacarequeira

Tô na correria por conta dos preparativos do Natal, mas...
Antes de findar o ano de 2011, decidi  falar sobre um assunto que tem tudo a ver com o Universo da Reciclagem.
Quando cito o termo "cacarequeira", não refiro aquelas pessoas que adoram ajuntar coisas em sua casa, fazendo de sua moradia um depósito de lixo onde tudo é feio, desarrumado, cheio de pó e teias de aranha.
"Cacarequeira", para mim, é uma pessoa voltada para arte da reciclagem da qual transforma os objetos que encontra por aí em peças reutilizáveis e bonitas. 
Na maioria peças estilosas e de bom gosto.
Já viu como são as casas das "cacarequeiras"?
Digo "cacarequeiras de persona", aquelas que nutrem verdadeiro gosto pelo que encontram e transformam sem vergonha de ser feliz?
Não?
Pois bem, normalmente, as moradias dessas pessoas estão REPLETAS de obras recicladas por elas mesmas, obras das quais ficam espalhadas por todos os aposentos. Sim,"repletas", termo delicado, elegante e educado. Tudo muito bem organizado e decorado.
Para elas não tem essa de ficar pensando no pó que ajuntará nas peças ou na quantidade de objetos que decoram o seu lar. "Cacarequeira de verdade" não liga para isso. 
Pois o prazer que as peças recicladas proporcionam a elas, verdadeiras obras de arte, é algo muito maior do que ter que exercitar os braços e as mãos com um paninho de pó.
Afinal, dona de casa trabalha bastante sim, mas sempre sobra um tempinho para navegar na Net, não é verdade?
Enfim,  como há sempre "gente abelhuda" e deselegante, obviamente, às vezes as cacarequeiras poderão ouvir certas coisas que merecem algumas respostas fofas e verdadeiras.
Por exemplo, vamos imaginar essa situação:

- Nossa, eu não quero minha casa entupida de coisas! Dá trabalho tirar pó... - argumenta a abelhuda. (talvez ela trabalha fora, cuida da mãe doente e dos netos hiperativos. Mesmo assim acho indelicado esse tipo de declaração grosseira).


- É? Não me diga! Por acaso essa casa é sua? - pergunta a outra numa boa.


- Não... - a abelhuda responde sem graça.


- Você é responsável pela limpeza de minha casa? Por acaso, você é minha empregada doméstica? - pergunta novamente a moradora à abelhuda.


- Não!!! - a criatura responde assustada.  (a ficha cairá e ela notará que falou o que não devia...)


Finalize então o diálogo sendo direta e reta, dizendo o seguinte:


- Então darling, vá cuidar da SUA casa, porque da MINHA casa, cuido eu.


Pronto!



Nadja P.

4 comentários:

  1. Oi Nadja, tudo bom?

    Vim te desejar FELIZ NATAL!!!
    Que passe por sua casa um Papai Noel bem generoso, e entregue tudo que pediu a ele.

    Desejo que 2012 seja até agora o melhor ano para vc. e família, um ano de realizações pessoais e profissionais.
    Com saúde, com a família unida, com amor, com emprego para todos, com paz e com muuuuuuito dinheiro no bolso e no banco!


    Beijos


    Audeni

    ResponderExcluir
  2. Pra vc tb!

    Desejo o triplo!


    Bjksss

    ResponderExcluir
  3. Fiquei roxa de inveja de sua habilidade. Um espanto e um tesouro o seu blog. Lindo, lindo e lindo. Decidi virar cacarequeira. Que você seja abençoada sempre. Parabéns mil vezes. Sueli

    ResponderExcluir
  4. Oi Sueli!

    Quanta modéstia, vai! Você também é habilidosa!
    Quer um conselho? Vire cacarequeira sim! É uma atividade muito legal, relaxante, prazerosa e infinitamente gostosa!
    Cada um tem sua porção de talento, basta acreditar em si mesma, não é verdade? E quando isto se dá, tenha certeza, o talento deslancha.

    Obrigada pela vista!


    Bjksss

    ResponderExcluir

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"
Chico Buarque