Frase de amigo

"Repaginou o Blog. Repaginou a vida." - Silvio Afonso

sábado, 24 de setembro de 2016

Passeio Fotográfico no Cemitério da Consolação/SP - Arte Tumular & História

Photos by Nadja P.


Passeio Fotográfico no 
Cemitério da Consolação/SP

Olá gente bonita!

Quando se fala em "passear no cemitério", muita gente faz cara feia.
Não deveria.
 Pois, os cemitérios antigos são como museus a céu aberto.
Foi pensando nisso que, eu e um grupo de amigos, decidimos realizar um Passeio Fotográfico no Cemitério da Consolação.
Lá fomos nós, munidos de nossas máquinas fotográficas e uma ansiedade imensa para conhecermos um dos cemitérios mais importantes do Brasil.
Nele encontram-se personagens ilustres que fizeram parte da história de São Paulo e do Brasil.
Bem como membros de famílias tradicionais  paulistanas e até mesmo um presidente da república, o campineiro Campos Sales.

Cemitério da Consolação

Fundado em 10 de julho de 1858, porém, vinha sendo utilizado há mais tempo.
Situa-se na Rua da Consolação que leva o seu mesmo nome.

































"Popó", personalidade querida da cidade de São Paulo


Francivaldo Gomes é o seu nome, mas é chamado carinhosamente de "Popó".
Um ilustre que foi nossa guia neste passeio maravilhoso onde tivemos a oportunidade de  admirar as obras de arte expostas nos jazigos e mausoléus bem como aprender um pouco mais a respeito dos ilustres que foram sepultados neste campo santo.
Conhecer pessoalmente o "Popó" foi uma imensa satisfação para o grupo!
Porque a história de vida desse homem elegante, educado, simpático e profundo conhecedor de Arte e História começou exatamente quando passou a trabalhar como coveiro no mesmo cemitério.
Veio do Nordeste e a princípio exerceu a profissão de pedreiro, seguida de coveiro.
Atento às explicações dadas pelo professor e historiador Délio Freire que, na época, exercia sua função, ele anotava tudo em um pedaço de papel, torcendo para que seu suor não apagasse as anotações.
Com a morte do mestre, "Popó" assumiu seu lugar. Há 12 anos vem conquistando a simpatia da população e dos visitantes. 
Um belo exemplo a todos.
Parabéns "Popó"!





Domitila de Castro - Marquesa de Santos


Imagem captada na Net


Quando jovem, ela causou grande inquietação na corte pelo fato de ter sido a amante do imperador D. Pedro I.
Ambos tiveram cinco filhos e viveram intensamente a relação adúltera aos olhos de todos.
Por fim , o imperador a trocou por uma linda jovem da qual despojou.
Domitila então mudou-se para São Paulo onde fixou residência. 
Pouco depois, conheceu um homem influente na cidade, o brigadeiro e fazendeiro Tobias de Aguiar, com quem se casou e teve outros filhos. 
Viveram felizes até a morte do esposo.




Imagem captada na Net 


Na velhice, a Marquesa de Santos tornou uma mulher devotada aos desamparados, miseráveis, famintos e doentes.
Também era mecenas dos artistas, promovendo saraus literários em seu belo palacete.
 Faleceu, vítima de enterocolite, em São Paulo.
Seu jazigo é um dos mais simples.
Obra de JR Pomar.




























Logo abaixo algumas das muitas belas esculturas expostas no Cemitério da Consolação:
























































  
Mesmo que a morte pareça incompreensível, opte em viver a vida de maneira bacana!
   Sim, tenho muitas imagens bonitas que vi e cliquei neste cemitério famoso.
    Obras de arte maravilhosas que descansam junto aos seus proprietários.
Não, não desejo questionar a intenção por trás da criação de tais obras...
Cada pessoa ou família teve seu motivo e desejo para concretizar isso.
O fato é que os viventes têm a chance de conhecer e admirar com o maior respeito esse acervo fantástico!
Lembrando que a Arte pode ser encontrada em qualquer lugar.
Até mesmo no interior de um cemitério.



Bom domingo!

12 comentários:

  1. Tem esculturas espetaculares!
    Por aqui também vemos monumentos maravilhosos e gosto também de os fotografar!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça,

      O acervo é imenso! A gente fica simplesmente encantada!
      Fico feliz que temos mais uma coisa em comum.

      Bjks

      Excluir
  2. Bom dia querida amiga ,a morte um mistério impertinente que nos faz questionar tantas vezes ,apesar de ser a única certeza da vida que temos logo ao nascer ,eu especialmente não gosto de cemitérios talvez por ter até à juventude mortes que me marcaram ,especialmente dois colegas de escola um na primária e outro aos 18 anos de acidente de carro ,momentos que me marcaram até hoje ,embora quando vou à terra dos meus pais ,os meus pais fazem sempre questão de visitar os seus entes queridos ,e como os acompanho vejo que mesmo ali à distinção entre o pobre e o rico basta olhar para cada campa e ver isso espelhado ,especialmente aqueles indigentes que apenas têm terra em cima , querida amiga certamente existem obras lindas que valem a pena serem admiradas ,desejo-lhe um Domingo muito feliz ,beijinhos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia querido amigo Emanuel!
      Sim, a morte é um mistério e uma realidade ao mesmo tempo.
      Infelizmente esses lugares nos fazem recordar de alguns momentos tristes.
      O que é compensado pelas belas obras de arte...
      A diferença social é destacada assim como na vida.
      A diferença é que na morte todos experimentam no mesmo estado, o estado de putrefação.
      Obrigada!

      Linda semana!

      Bjks

      Excluir
  3. Olá Nadja,conheço bem esse cemitério,pois temos parentes sepultados nesse local.
    É muito lindo mesmo.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carmen Lúcia!

      Então você há de concordar comigo que é um lugar bonito, repleto de obras de arte belíssimas, não é?


      Bjks

      Excluir
  4. Olá Nadaja, os cemitérios tradicionais das cidades apresentam sempre uma rica simbologia funerária que revela os ideais da época, aspetos socieconómicos, profissões, valores conjugais, filiais e de gratidão. A estatuária é riquíssima e encontram-se verdadeiras obras de arte. O cemitério "Père Lachaise" em Paris, onde se encontram muitos escritores famosos, é tão visitado por turistas como qualquer outro monumento daquela capital. Isso para lhe dizer que não acho estranho uma visita fotográfico a um local como este! seus cliques estão lindos, como sempre,vc sempre enxerga algo a mais. Beijos, boa semana para vc!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Val!

      Você disse tudo, amiga! É isso mesmo!
      O problema é que o brasileiro não foi acostumado a cultivar esse tipo de passeio tão comum na Europa.
      Quando visitar Paris, pretendo conhecer o Père Lachaise, com certeza! E um dos jazigos que irei visitar será de Oscar Wilde.
      Obrigada! Foi bem ligeiro nosso passeio, ficamos lá cerca de 03 horas. Não exploramos nem a metade da área.
      Sabe o que acho estranho? Diante de tantas obras de arte as pessoas fazem cara feia só pq estão no interior de um cemitério.
      Que gente babaca! KKK

      Boa semana!

      Bjks

      Excluir
  5. Muito interessante Nadja, adorei!!
    E está se tornando uma excelente fotografa, parabéns!!

    Abs Mari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Mari!
      Gentileza sua, amiga!

      Boa semana!

      Bjks

      Excluir
  6. Muito bom Nadja.
    Um lugar que assusta muitos e que reserva grandes artes.
    Penso que este pessoal assustado estáo fora do tempo.
    Gostei da partilha das imagens.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Toninho!
      Um lugar que merece ser visto com olhos mais sensíveis, não acha?
      Sim, uma gente babaca! Rsrsrs

      Boa semana!

      Bjks

      Excluir

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"

"Abra teu coração ou eu arrombo a janela"
Chico Buarque